quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Sinopse

Desenho um ponto numa extremidade.
Na outra, vou desenhar mais um.
Chamo "A" ao primeiro (por formalidade)
e "B" ao segundo (por senso comum)

Entre "A" e "B" traço uma recta
para eliminar todo o espaço nu;
o ponto "A" sou eu, e a minha meta
é o ponto "B" (que és tu)

Mas penso, porém, nas intersecções
que nos desviam das nossas direcções,
dos nossos objectivos, das nossas metas...;

Diz-me, amor, que findei meus versos:
não seremos ambos pontos dispersos
que desejam unir-se por linhas rectas?

Coimbra, 29/12/2005

2 comentários: